Archive for the ‘Dizeres de Anon Imatos’ Category

Sexo, prazeres e anestesia

Posted: 28 de Fevereiro de 2010 by 1ppc in Dizeres de Anon Imatos

Ora aqui me apanham de novo, possíveis leitores destas minhas linhas tortas. Ontem tive uma noite fantástica, jantarada com antigos amigos da faculdade, cartada num barzinho perto do restaurante, conversas longas até às tantas da noite e para cerejar em cima do bolinho fantástico, uma noite escaldante de sexo com a minha namorada linda e marota. Já estou a ficar velho, shots e whisky não combina muito na equação estranha que sou, fartei-me de perder na Sueca porque só estava na galhofa a rir-me com as caras dos meus amigos, mas no Poker lá me safei a feijões.

Alguém especializado na matéria me há-de explicar porque raio sempre que dou uma queca, a seguir me dá uma vontade estúpida de fazer xixi, de comer gelado de mel e de arrebentar bolinhas (daquelas que geralmente estão a almofadar os envelopes ou encomendas de cartão). A sério, ainda ontem foi assim, a minha linda até se virou para mim, chamando-me “totó” e “estranho”, num misto de risos e carinho, pois sei que aquela mulher me ama de igual modo que o meu amor existe por ela. acabámos a união carnal, soube imensamente bem e depois o geladinho e as bolinhas ao lado dela, nus nos nossos lençóis (muito suados). Um gajo sente que a vida às vezes está uma seca, que é uma rotina, que o stress nos aumenta o desconforto dos dias e “toma”, tens sexo sentido e explicito com quem mais amas e tudo se desvanece, deixando no céu um rasgar de relaxamento, prazer e um sorriso estúpido, semelhante a quem fumou um charro, mas com um expoente de mais mil vezes que isso mesmo.

O meu Guimarães ganhou ao Leiria, amanha serei portista, há derbi entre eles e o Sporting e se este perde o meu enorme clubinho vimaranense fica em quarto lugar no campeonato. Boa sorte aos portistas do Blogue, assim o espero (risos). Tremoços, cerveja e pessoal alegre, amanha lugar cativo no café do costume. Anestesio-me com os prazeres pequenos, simples mas soberbos que temos na vida, por isso nunca desanimem, o sol ainda existe, a noite e as mulheres (grande arte que todas elas são) também.

Abrações aqui do Anon.

Porque será?Do Guaraná é que não é

Posted: 25 de Fevereiro de 2010 by 1ppc in Dizeres de Anon Imatos

Aqui estou eu de novo, outra vez. Só agora é que voltei a postar porque… Bem vocês não têm nada a ver com isso. Tenho a dizer à denominada Miss Tola e ao Carlos Duarte, o meu “muito obrigado” em voz alta pelos seu comentários. É bem verdade o que disseram, a nossa juventude de tão automatizada que vai estando, vai-se tornando cada vez mais preguiçosa e vazia em simultâneo. É bom já ter, mesmo que poucos, alguns comentáriozinhos.

Estes meus dias têm sido uma valente tempestade de velocidade. Não vos disse ainda, mas tenho dois empregos. O primeiro é o diurno, trabalho numa empresa de interiores para casa de banho aqui no Norte, é muito motivador e tem grandes prospecções de futuro. Então não? Ver sanitas o dia todo só podia ser inspirador. De noite trabalho como empregado num bar cá da cidade. Já conheço o staff à muito tempo, por isso aqui as coisas geralmente passam-se melhor, mas não sei, ando muito cansado. Os clientes lá são os mesmos e as piadas secas são sempre as mesmas. De dia a chefe que é lisboeta, é uma racista do caraças e xenófoba. “Ah isto podia estar melhor”, “Ah aquilo só mesmo de gente do Norte”, “Vocês gente do Norte não prestam mesmo, então com essa maneira de falar”. O que um gajo tem de aturar. Licencias-te num curso e lá pensas tu “epah estou aqui para ganhar bem no futuro e ter um emprego que coincida com o que aprendi e me realize”, qual quê?! É certo que não ganho mal, mas possa, tenho dois empregos, o esforço é bem maior, mas não foi isto que idealizei quando estava na Faculdade. Sabem o que vos digo? Cunhas! Era o que falava no inicio, prolongando a globalização da juventude: Não sobes na vida pelos conhecimentos que tens, mas pela maneira como os aplicas e com quem os aplicas e em que número de pessoas. E mais nada! Fartei-me de enviar currículos depois do estágio, e nada. Isto não está para brincadeiras, graças à minha dedicação tenho carro, alugo o meu apartamento, tenho dinheiro para alimentar o Wood (o meu cãozinho labrador), para comer, para o cineminha com a namorada, para tabaco, etc. Ok parece que vivo bem e não sei quê, mas caramba e a realização pessoal? Gostava de ter a minha própria cena, mas está difícil. Enquanto isso não acontece, continuo a escrever-vos,  a coçar os tomates nas horas vagas, ver filmes sobre o que gostava de fazer e levar o popó A Vila Real, ao meu lugar secreto que há por lá para haver paz.

Porque será que Portugal está cada vez pior?Do Guaraná?! enfim…

Abraço, Anon Imatos

Number two

Posted: 6 de Fevereiro de 2010 by 1ppc in Dizeres de Anon Imatos
Etiquetas:, , , , , ,

Pois é, mais um post aqui para a vossa colecção =) Desde já, Carlos, que sejas bem-vindo a este blogue, tal como fui (acho eu =P).  Daqui a pouco isto é uma equipa de futebol [risos]. 🙂

Pois bem, que tenho hoje eu para falar em particular? Para começar o dia hoje não me começou nada bem, acordo com uma vontadinha do caramba, pois tenho almoço com o amigo Luís, fiquei de lhe fazer um favor, mas a pecador preguiça é muita. Estou tão nos meus dias, que encho o copo com leite e em vez de deitar o resto do pacote no lixo ia sim colocar o copo cheio, enfim… Depois em vez de pasta nos dentes pus creme de barbear, escorreguei na banheira, queimei um pouco o dedo na tostadeira e para culminar – começou a chover lá fora e tenho a roupa estendida, toda encharcada já. Enfim… Pormenores, bebe-se o café e parece que os milagres existem.  Ontem à noite quando cheguei do trabalho e estacionei ainda um pouco longe de casa, reparei numa coisa tão cómica: por acaso já se deram ao trabalho de reparar no condutor de cada carro que passa por vós na estrada, pois bem, aqui o pateta assim o fez ontem. Acho incrível! A gorda do Seat Olhava-se no retrovisor e pintava-se com um bâton rasca; o caixa de óculos do Fiat discutia com a mãe ao lado e olhava para todo o lado menos o do sentido da viagem; a tia do BMW folheava a revista Maria ao volante (com o carro em andamento!) e para culminar quando quase que fui atropelado, o vizinho do talho numa travagem brusca (ao quadrado!) em plena passadeira, de telemóvel na mão! Enfim… Acredito mesmo na frase: “qualquer burro tira a carta”. Sim, não sou santo, mas quando conduzo não sou tão estúpido quanto Jumento.

Ontem também fui sair à noite. Faço aqui um atentado forte à estupidez pseudo-afirmativa da juventude dos dias de hoje, relativa ao Álcool. Aquela rapariga de quinze anos estendida à porta de um bar em coma alcoólico e ainda por cima ouvi que era epiléptica, epah’ tratem-se, ah e tal quero ser “in”, vamos todos beber até morrer que o figado é imortal, o dinheiro dos pais e o meu cérebro um íman de imitações. Tratem-se, putos de uma figa! Não admira que a taxa de abandono escolar seja a que é. No meu “tempo” as coisas eram bem diferentes, sim havia valentes charros, sim bebedeiras também, mas oblá’: isto com a geração “tecnológica” é tudo imitação, falta de contacto fisico e mais virtual e acreditem no que vos digo, taxa de mortalidade se aumentar, não se admirem dos estudos clarificarem razões como por exemplo a precoce matança dos órgãos, em jovem. Cresçam e apareçam, miúdos. curtir não é eu dizer “ah apanhei um coma de álcool”. Curtir é muito mais que clichés tão limitados. É sorrir, pular, abraçar, dançar, chorar, não fazer o que uma sociedade cada vez mais estúpida, materialista, limitada e hipócrita quer que façamos!

Eu avisei a misantropia  [risos]

… Merda! Não cortei as unhas dos pés e a miúda hoje dorme cá!

Abraço, pseudo-leitores fofinhos/as.

Era uma vez…

Posted: 24 de Janeiro de 2010 by 1ppc in Dizeres de Anon Imatos
Etiquetas:,

Todos dizem que é assim que começam todos os contos infantis – Era uma Vez – Pois de infantis os meus posts poderão ter talvez a mentalidade, em certos assuntos…Isso fica ao vosso critério. ‘Epah o meu nome (para vocês) é Anon Imatos, sou português “sangue puro” (acho eu) e fui convidado a escrever neste blogue sobre o que me apetecer. Assim o farei, não tenham duvidas algumas.

Antes de mais acho este blogue muito rico no tipo geral de assuntos em que fala, embora acho que está cá poesia a mais, alguns erros hortugráficus em posts que li e não percebo o “patrocínio” da PokerStars e o que tem isso a ver com o blogue em si. Sim, gosto do blogue, tenham calma. Gosto apenas de maldizer, não me censurem, sou um excessivo misantropo!

Sou um vimaranense (pessoas que nascem em Guimarães ou perto da sua fronteira) que gosta de escrever – Bem ou mal –  para assassinar as mágoas, pois o dinheiro para bebida não é muito (e o fígado também não), para me entreter a mim mesmo, ocupar espaço de caracteres, falar mal e bem dos outros (geralmente mal) e sobretudo… Porque sim.

“Ah e tal visitem o meu blogue, comentem e divulguem” – Estou-me completamente nas tintas para isso, não divulgo o blogue a ninguém conhecido pessoalmente nem a nenhuma alma digo que nele escrevo por uma simples razão – Não estou aqui para me exibir, estou aqui para vocês me lerem (se quiserem), para ver se me conheço melhor (e se vejo mesmo se sou alguém racional ou não passo mesmo de um mesquinho totó) e para me comentarem também (se o quiserem). Dou maior valor a comentários de pessoal que não me conhece de terriola nenhuma, digamos que quando nos conhecem, eh, há sempre digamos – uma (por maior ou menor que seja) mentira implícita neles. Assim, gostem ou não de mim, saberei que o que possam dizer é vindo mesmo do fundo das vossas lindas tripas do coração!

Como diz uma despedida que já vi em redes sociais da Internet… Abreijos para todos e aguardem-me (ou não)

P.s: Vértice Redondo… que nome mais… Enfim, acho que quem entra aqui pensa em matemática e não nas coisas que aqui estão mas está-se bem.

Fim.

Por: Anon Imatos