Archive for the ‘Dedicatórias*’ Category

Homenagem

Posted: 16 de Março de 2010 by bar0na in Dedicatórias*, Musica, notícias, Uncategorized
Etiquetas:, ,

LEMBRO-me bem como e quando te conheci: foi no dia 12 de Maio de 2007, quando foste actuar com o Sam The Kid à Semana Académica de Faro. Quem nos apresentou foi o Reko, e desde o primeiro minuto desenvolvemos uma empatia que, mais tarde, evoluiu para uma amizade.
VOLTEI a ver-te quando actuaste dia 26 de Abril de 2008, na Semana Académica de Loulé. Pensei que já não me conhecesses, mas tu, sabendo que sou grande fã do Sam, fizeste-me subir ao palco e cantar a “Sofia“… As minhas pernas tremiam. E quando a música fizeste questão que eu ficasse em palco convosco; e ainda vieste ao pé de mim e partilhaste o teu microfone para cantar contigo “Poetas de Karaoke“.
AI, essa foi a melhor noite da minha vida, e tu estavas presente! Fomos todos para o backstage onde fumámos e bebemos, sempre a rir e sorrir! Ainda tenho uma garrafa de água que o Sam me deu, e que não partilhei com ninguém! 😀
A seguir fomos para o Blackjack, em Vilamoura. Diverti-me bastante convosco, e nessa noite devo ter gasto cerca de 70/80€, mas acredita que valeu a pena.
SEMPRE que ias a Faro telefonavas-me a avisar… Ainda nos encontrámos na baixa de Faro umas quantas vezes… Nunca esqueces-te o meu nome, e nunca me encaraste sem um sorriso na cara.
TINHAS um sorriso sincero, e sempre que nos encontrávamos ficávamos eternidades a falar. Nunca deitaste culpas a outros por erros do passado, sempre os assumiste.
AS nossas conversas iam desde o campo pessoal ao profissional, da cultura ao sexo, de preceitos a preconceitos. Nunca houve nenhum assunto em que te mantivesses calado!
LEMBRO-me agora do concerto em Albufeira:
– Já vens «chular» bebida né barona?
– Oh, é só para provar, a ver se não tem veneno!
RIMOS muito!
NUNCA tiveste problema algum em dizer-me quando achavas que eu estava a agir mal… Sinceramente, não sei o que te deu na cabeça para não parares na operação STOP. Essa brincadeira tirou-te a vida!
HOJE choro por ti, mas na memória ficam os risos estridentes, as brincadeiras, as trocas de insultos parvos, as chamadas telefónicas em que me ria infinitamente, porque eu sei o teu tipo de mulher 😀 só tu perceberias esta última parte, mas como já cá não estás, morre contigo e comigo.
OBRIGADO por tudo, tudo mesmo!
GUARDO na minha memória o teu sorriso, as tuas tranças maravilha e os teus óculos magníficos!:D
QUE saudades vais deixar, não só como amigo, mas como grande contributo ao movimento do hip-hop português. Estavas a evoluir muito e recordo-me de como fiquei orgulhosa de ti quando ouvi a tua música com o Regula no Kara Davis vol.2!
DESDE então não tive oportunidade de te dar os parabéns . Deixo-tos agora.

ESTA é a minha homenagem para ti, Snake, a cobra da minha vida!
R.I.P. 😥 16/03/10

Saudades Infinitas*

Posted: 21 de Setembro de 2009 by bar0na in Dedicatórias*, Poesia[abstracto], Saudades Infinitas

Sinto aquela falta,
A falta da ansiedade
A ansiedade de te ver,beijo
A ansiedade de te ter.
um pensamento ,
um arrepio…
Melhor dizendo
um calafrio.
A lágrima cai,
Ou pelo menos quer cair
Ao pensar no que se passou
O que se poderia ter passado…
Mas era óbvio
Mais tarde ou mais cedo
O “nós” acabaria.
Eu não quis que fosse assim
Mas assim o fiz
Por isso, assim o mereço!
Agora sinto a falta do teu toque,
Do teu cheiro,
Das tuas palavras,
Do teu sorriso…
Mas o tempo não volta atrás
E nem há tempo para recuperar o passado…
tempo para o (re)viver
Pois o passado é um conjunto de recordações.
Mas se não há tempo para recuperar o passado,
Porque haverá tempo para o (re)lembrar?
Quero seguir a vida em frente
Vou seguir a vida em frente
Mas torna-se complicado querer viver um futuro
Sem que te traga do passado para o presente.
“I wanna wake up where you are”
E esta é sem dúvida a pior das verdades!
Quero acordar onde ‘tás,
Quero acordar ao teu lado,
Quero morar ao teu lado,
Quero viver ao teu lado,
Quero ficar ao teu lado…(!)

 

Assinado: Barona

Tu.

Posted: 26 de Maio de 2009 by bar0na in Dedicatórias*, Duetos, Poesia[abstracto], Tu., Uncategorized

 

Deixa o vento entrar

Deixa a brisa permanecer

Pela janela da liberdade

Pelo portão das ambiguidades

Que depois de muito passar

E grandes guerras batalhar,

Eu consigo reconhecer o teu ar,

Diferente dos antigos nostálgicos

Á minha respiração.

É muito característico

E é isso que me faz brilhar

E brilho, brilho, brilho…

Até o resto da noite durar.

E é assim que recebo as tuas cartas,

Prosas e poesias escritas numa tinta

Permanente de incertezas.

As cartas que insistem em não falar

E só me deixam sonhar,

Sonhar com a hora que me vou encontrar contigo,

Sonhar com a altura que te hei-de beijar,

Sonhar com os milésimos de segundo

Em que me enlaças de forma digna.

Logo depois acordo,

A realidade ’tá a chamar.

Aí noto que o vento se torna seco

E as nuvens mais negras,

E tudo começa a sufocar-me,

O meu entendimento adormece

E só penso em ti,

Nas estrelas, no mar

Nas praias, nos jardins,

Nos planaltos, na neve…

Penso em como gostava de te fazer feliz.

Penso no que gostava que acontecesse.

Pois, eu querer… Quero o infinito

Mas tu metes-me limites,

Barreiras maior que muralhas,

Barreiras intransponíveis

Altas e largas…

Que eu quero passar por cima.

Falta-me a força,

Falta-me a vontade,

Falta-me o teu beijo

Para me reanimar de sentidos,

Para voltar a levantar-me…

Ainda não abriste bem o coração

Para deixar a minha paixão penetrar-te.

Eu ando à toa porque sonho de olhos abertos

Ando à toa porque sonho contigo!

 

Bar0na & Dyr elL. 09