Archive for the ‘Convidados’ Category

O Vosso Novo Companheiro de Escrita.

Posted: 5 de Fevereiro de 2010 by carlosduarte14 in Convidados

Boa tarde a todos.

O meu nome é Carlos Duarte e venho por este meio apresentar-me como o vosso novo companheiro de escrita aqui do estaminé. O dono do estaminé acha que tenho uma boa escrita, gosta das minhas ideias e então pensa que puderei dar um contributo interessante aqui para o Vértice. Como está ele redondamente enganado, :).

De qualquer maneira, vou tentar contribuir o melhor que puder e honrar este convite.

Que irei eu escrever aqui? Algumas coisas a ver com cinema, sugerir a visualização de alguns filmes, promover a sua discussão, e quem sabe outras coisas que goste de escrever. Vamos ver como correrá.

Quem sou eu? Talvez um cinéfilo inverterado, que um dia alguém disse que escrevia umas coisas giras. Também gosto das coisas boas da vida. Quem não gosta? 🙂

Cumprimentos para todos e obrigado por me acolherem!

Carlos Duarte.

Anúncios

Meu Século XXI

Posted: 29 de Maio de 2009 by Dê Cê ÉL in Convidados, Crónicas

               De mãos dadas vejo a inconstância, a insegurança e as incertezas que, aos saltos, vão buscar a inquietude. Vejo a frágil esperança lá longe no canto, ela ainda credita que tudo vai mudar.

                A sala é ampla e escura, avistam-se injustiças, incompreensões, falta de sentimento e seres incorrectos, frios e egoístas que se exibem, chegando ao ridículo. Até parece que apenas existe o lema da ostentação e do materialismo. E os Valores? – É simples: Valho porque tenho, não por aquilo que se é e por mérito, mas pelo que possuo. Fala-se por falar não se canta nem se ouvem sonoridades que preenchem a alma. Há gente mas não há pessoas…

                Nesta reunião de posturas há entrada livre para a falta de verdade, para a mesquinhice e para as vidas fáceis e ocas. E a multidão que não sente e que se veste de egocentrismo?

                No tempo e na vida que corre e que envelhece, não se vêem caminhos nem os passos a seguir.

                Fecho os olhos e sonho na liberdade do ser. Ser quem se é realmente, sem nuvens e escuridão, sem jogos de esconde-esconde, mas com rasgados sorrisos e a leveza do ser. Ser capaz de elogiar, de ser sincero e de pensar no outro.

                Sim sonho, sujonho na minha e na liberdade de todos. Aqui, perante os obstáculos e as dificuldades, há passagem, atitude, coragem e finalmente a mudança.

                Já sei onde vou e consigo sorrir acordada. Já sendo a pessoa transparente que sou, também já consigo olhar com o brilho da felicidade.

 Ciana[participação especial]