Archive for the ‘Crónicas’ Category

O Vosso Novo Companheiro de Escrita.

Posted: 5 de Fevereiro de 2010 by carlosduarte14 in Convidados

Boa tarde a todos.

O meu nome é Carlos Duarte e venho por este meio apresentar-me como o vosso novo companheiro de escrita aqui do estaminé. O dono do estaminé acha que tenho uma boa escrita, gosta das minhas ideias e então pensa que puderei dar um contributo interessante aqui para o Vértice. Como está ele redondamente enganado, :).

De qualquer maneira, vou tentar contribuir o melhor que puder e honrar este convite.

Que irei eu escrever aqui? Algumas coisas a ver com cinema, sugerir a visualização de alguns filmes, promover a sua discussão, e quem sabe outras coisas que goste de escrever. Vamos ver como correrá.

Quem sou eu? Talvez um cinéfilo inverterado, que um dia alguém disse que escrevia umas coisas giras. Também gosto das coisas boas da vida. Quem não gosta? 🙂

Cumprimentos para todos e obrigado por me acolherem!

Carlos Duarte.

Golden Globes 2010

Posted: 18 de Janeiro de 2010 by Dê Cê ÉL in Crónicas, notícias
Etiquetas:, , , , , ,

Apresentada pelo humorista britânico Ricky Gervais, que fez questão de animar o público com os seus habituais sarcasmos e ironias, ontem à noite decorreu a 67ª cerimónia dos anuais Globos de ouro, o que para muitos pode ser considerado como “encaminhador” para os Óscares. Os grandes premiados da noite foram Avatar (James Cameron), Up (Pete Docter) e a conhecida série Dexter. Os resultados de Avatar já assim eram esperados pelo tremendo sucesso lucrativo que o filme alcançou, ultrapassando mesmo o filme Titanic nos mais rentáveis de sempre. Este filme destaca-se pela qualidade visual, tecnológica e sonora.Segundo muitos críticos cinéfilos, o poder industrial do filme foi maior razão para estas nomeações e triunfos. Avatar conquistou um globo para melhor realizador (James Cameron) e outro como melhor filme dramático. Já o filme Up, da Walt Disney Pictures, arrecadou o globo de melhor filme de animação e de melhor trilha sonora, por Michael Giacchino. No campo televisivo o maior destaque foi mesmo para a série “Dexter”, ganhando merecidamente os globos de Melhor actor de série dramática (Michael C. Hall) e de melhor actor secundário (John Lithgow). “Glee” conquistou o prémio de melhor série cómica e “Mad Man” de melhor dramática.

Voltando às telas das salas cinematográficas, “Nine” e “Up in the air” (estreia prevista em Portugal para 21 de Janeiro deste ano)oram alguns dos grandes derrotados, da gala de ontem sem conseguirem nenhum prémio. O globo de ouro para melhor musical/comédia foi para o grande sucesso de verão “Hangover” (Todd Phillips), por consequente os melhores actores de comédia foram, respectivamente, Robert Downey Jr. (Sherlock Holmes) e Meryl Streep (Julie & Julia). A distinção de melhor actor dramático foi atribuída a Jeff Bridges (Crazy Heart, estreia prevista em Portugal a 19 de Fevereiro) e Sandra Bullock  no excelente filme baseado em factos verídicos “The Blind Side”, como mãe adoptiva de um jovem jogador de Futebol Americano acolhido pela sua família que mais tarde viria a ser um dos melhores da modalidade profissional.

Mo’Nique (Precious) ganhou o globo para melhor actriz secundária e na mesma categoria, e muito merecidamente, também Christoph Waltz (Sacanas Sem Lei, de Quentin Tarantino) ganhou este título, pela sua notável participação no papel de poliglota e sarcástico militar nazi Hans Landa. Um dos prémios mais merecidos de todos. Parabéns ao notável actor. Alguns dos momentos que marcaram a noite passaram-se com James Cameron, realizador de “Avatar”, que num dos seus discursos enalteceu a beleza da profissão para quem está ligado ao cinema; com o ex-Beatle Paul McCartney, que quando apresentou as nomeações de filmes animados disse ” os filmes animados não são só para crianças mas também para adultos que consomem drogas” e várias declarações de presentes mostrando solidariedade para com a catástrofe actual no Haiti. O galardão para melhor filme estrangeiro foi directamente para “O Lenço Branco” (Alemanha) e por fim mas não ultimo, o globo dourado para melhor canção original foi para “The Weary Kind” (Crazy Heart). Deixo a melódica canção para os leitores se deliciarem. Foi uma gala elegantíssima, com muitos intervalos é certo, mas bonita e com o salão cheio dos mais conhecidos e prestigiados nomes mundiais do cinema e da televisão. Aguardemos os Óscares.

[Para mais informações: Aqui ou Aqui também]

ULTIMAMENTE, com amigos(as) tem surgido à conversa o tema “suicídio”.
NA sua opinião, o suicídio é algo lamentável; é uma acção egoísta e só mostra egocentrismo, isto é, na tentativa furtiva de encontrar um escape para a dor (psicológica principalmente), vai-se provocar dor a todos os que nos rodeiam e que gostam de nós.
ACHO que esta opinião sim é lamentável, pois é a opinião de toda a gente, é uma opinião globalizada, é uma opinião moral e eticamente correcta!
COM isto não estou a querer dizer que concordo com o suicídio ou algo parecido…
ACHO que é realmente egocentrico uma cto destes, mas não nos ensino a sociedade que só connosco podemos contar, que devemos seguir a nossa vida sem nos importarmos com o caminho que outros tomam (a não ser que nos aecte directamente)?!
QUEM nunca pensou que não merecia/queria viver? Acho que todos nós já pensámos isso pelo menos uma vez na vida!
NÃO concordo quem critica sem ter a rwal versão dos factos. De qualquer das maneiras, para uma pessoa acabar com a sua própria vida motivos não devem faltar, e só essa pessoa sabe a real versão dos factos.
CLARO que há pessoas que têm tendência para serem mais depressivas que outras… sinceramente só o é quem “quer”!
A depressão é uma “doença” nova, que afecta miudos e graúdos, que provém de uma deseducação da alma e personalidade.
SIM, já tive períodos menos bons! Sim, já pensei em suicídio, mais do que uma vez até! Mas sempre tive a “claridade” para encontrar uma solução, para ver ver o lado positivo (que muitas vezes não havia) da situação.
-que aprender a rir para a vida, pela vida e com a vida!
SE esta sociedade não fosse já por si tão mimada, estas psicoses globais hipocondreacas seriam em menor número concerteza. Mas pronto, depressão é a doença da moda, e torna-se difícil contrariar a tendência!
APRENDEMOS desde novos a ser materialistas e a pensar como a generalidade da sociedade, para nelas nos podermos inserir. Acabamos por nunca pensar pela nossa cabeça, pois são nos dirigidas regras que acatamos quase automaticamente; acatamo-la e tomamo-la como certa eticamente.
ESTAS questões de educação infantil acabam por nos comprometer já em adultos. Não desenvolvemos as capacidades que deveriamos ter desenvolvido; o livre-arbítrio que nos foi atribuído e que é uma das principais características da nossa personalidade, é totalmente corrompido, porque embora pensemos que estamos a pensar por nós mesmos, estamos a seguir uma linha de pensamento globalizada e controladora, que usa o simples “truque” de nos meter uma ideia/opinião na cabeça e fazer com que pensemos que fomos nós que a “criámos”.
QUERO com tudo isto explicar que à miníma desilusão na vida, muita gente chora , cai … voilá, fez-se a depressão!
ASSIM, tem-se vindo a assistir ao degredo do livre-arbítrio, e à super deseducação da personalidade… porque quando eu era pequena, se qeria uma coisa fazia por merecê-la: ajudava a minha mãe ou tirava boas notas ou arrumava o quarto… se eu tivesse nascido neste século (até pareço velha), se quisesse alguma coisa, faria uma birra!

Hoje, como noutro dia qualquer, pessoas nascem, outras falecem. Hoje, como noutro dia qualquer faz também anos que alguém nasceu ou morreu. Fora estes dados comuns de qualquer dia do ano, hoje é também assinalado o Dia Internacional das pessoas com deficiência. Foi instituído pela ONU (Organização das Nações Unidas) a 1998 com o propósito de enaltecer a protecção dos direitos, dignidade, benefícios de integridade e bem estar a toda e qualquer pessoa portadora de deficiência.

Felizmente a cada dia que passa são criadas novas medidas que mobilizem de melhor forma uma vida melhor para pessoas com deficiências, recentemente sabe-se que agora as pessoas cegas já podem escolher a cor da roupa e acessórios que desejam comprar, através da leitura em Braile. Agrada-me ver nas grandes superfícies comerciais a existência de rampas e elevadores para pessoas de mobilidade reduzida, assim como felicito-me em saber que os aparelhos auditivos estão cada vez mais desenvolvidos. No entanto há coisas que também me preocupam, o preconceito da palavra “deficiente”. Infelizmente, desde que nascemos até nos formarmos como adultos, da infância, adolescência até à velhice, descriminação e crueldade são conceitos muito presentes na sociedade humana. Quando alguém vê uma pessoa especial, portadora seja de que deficiência for, há muito o afastamento dela, a exclusão de alguém somente pela aparência e isso não é nada positivo, isto está, por exemplo,  muito latente na falta de empregabilidade para estas pessoas. Lembrem-se que de hoje para amanhã a vossa vida pode pura e simplesmente girar 180º e o vosso vida tornar-se-ia muito difícil, ainda mais se formos enxovalhados pelos outros. Somos todos Seres Humanos, Digam “Não” à discriminação e um alto “Sim” à igualdade entre todos.

Dia mundial da criança.

Posted: 1 de Junho de 2009 by Dê Cê ÉL in Crónicas, Dia mundial da criança, Dias mundiais

O BomO menos bom

 

 

O melhor do mundo

 

 

 

 

 

            

 

 

               Dia da criança….Porquê? Haverá necessidade da existência de tal dia para que os pais tomem conhecimento da importância das crianças?

                Para nós este é um dia muito infeliz que nos mostra a fraqueza humana para compreender os outros. Se estes dias existem, eles são nada mais do que o resultado de experiencias negativas, e neste caso o dia da criança vai de encontro aos maus tratos, violações, exploração infantil entre os demais problemas da nossa sociedade ocidental. A sociedade ocidental em certa forma está “podre”, e que melhor forma de transmitir isso aos cidadãos senão com os demais dias mundiais?

                Muitos destes dias mantêm-se no nosso quotidiano não só apenas por tradição, mas para que ninguém se esqueça de que nem sempre as coisas foram tal como são. Numa época onde está (infelizmente) em voga todos os desumanos massacres que vão desde a pedofilia, tráfico de órgãos e de pessoas (incluindo as jovens crianças) até aos não menos importantes usos precoces de substâncias nocivas, como a droga e o álcool em consumo não muito próprio. Já vi crianças escondidas atrás da paragem do metro fumando um cigarro como que a fumar droga, todos cheios de mania, como se aquilo fosse a melhor coisa do mundo. São estes os valores que se devem incutir nos filhos? São estes os valores com que a nossa sociedade nacional e além fronteiras está a evoluir?! O que diria Darwin, Freud, Fernando Peça, Mahatma Gandhi, Chez Guevara ou a Madre Teresa?! Sem querer parecer sarcástico com os nomes que enunciei, quero dizer mais uma vez a célebre máxima de que as crianças são “o nosso futuro” e a nossa imortalidade enquanto ADN e células diferenciais que todos nós somos.Baloiço

                Por outro lado, nem tudo está a esmorecer. Há também coisas boas a enaltecer, tais como a importância enorme que é a infância para o crescimento e formação como pessoas e adultos que seremos no futuro. Quem não se lembra dos miminhos parvos e bons que foram as séries televisivas que nos acompanharam nas criancices corriqueiras da juventude? Quem se esqueceu dos jogos da apanhada, do esconde-esconde, do quarto escuro, o bate pé, a cabra cega, o macaco de imitação, as cantaroladas em grupo junto á fogueira, os pontapés na bola em pleno bairro, com a baliza como garagem e os paralelos como terreno de jogo. Enfim, uma panóplia de coisas que nos acompanham no nosso saco de experiencia viva. Neste dia internacional os professores “obrigavam-nos” a fazer desenhos, nessas datas as aulas eram mais “ligeiras”, recordo-me de os meus pais e avós me darem sempre uma lembrancinha em brinquedo ou monetária, inclusive os padrinhos. De passeios pelo jardim de São Lázaro na Invicta até á Alameda de Faro. OS carnavais em que me mascarei de Batman ou vampiro. Como eu me divertia a ver o Pokémon, as navegantes da lua, os filmes intemporais da Disney (quando não aparecia a Lindsay Lohan), as brincadeiras no escorrega dos vários jardins. Lembro-me com toda a exactidão de em criança ir às praias algarvias e fartava-me de comer areia – achava-lhe piada. Os meus pais em bebé colocavam-me a ouvir música clássica e talvez por isso mesmo hoje tenha criado um incontornável gosto por toda a música (não a divido em géneros, divido-a em qualidade). É isto que torna as crianças na melhor coisa do mundo. Elas conseguem ser do mais puro, verdadeiro, inocente e criativo possível. Um dia serei deveras um pai babado, sem duvida. Todos têmos uma criança enorme dentro de nós e talvez isso ainda nos faça mais maduros por vezes.

               Concluindo de uma forma pouco ortodoxa digo que esta é apenas a minha modesta opinião, e cada um é livre de concordar ou não. Que todos os pais antes de dar uma estalada aos seus filhos pensem duas, três vezes. Sou a favor do castigo e não de tareias. Dêem mimo infinito aos vossos filhos, doseado com conversas abertas e participem nas actividades deles. Só assim haverá a relação parental na sua verdadeira acepção – Para a vida.

 

 

João Guerreiro & Diogo Costa Leal. 09

photo07

SOU um bocado suspeita para falar deste dia, visto que sou fumadora muito activa, compulsiva até! Fumo há 8 anos (desde os 12) e acho que estes números dizem tudo. Já eu (o outro que também diz que escreve – risos), fumo desde os 14 e infelizmente sou actualmente aclamado de “chaminé-tossidora”.

cerca de um ano e meio que entrou em vigor a nova lei do tabaco. Sou contra e a favor desta lei. É tão bom quando se vai a algum restaurante ou café e se pode acender o cigarrinho para acompanhar o café. Para respeitar os não fumadores somos obrigados a ir lá para fora… perfeitamente compreensível, é tudo uma questão de hábito! É mau um não fumador ter de fumar ao lado de um que o faz – Há que haver respeito, mas caramba! Os passivos que nos respeitem também – Isso é liberdade, respeitar a dos outros.

NÃO entendo esta lei no domínio das escolas secundárias. Ter de ir para fora da escola só para fumar um cigarro?! Os intervalos são tão pequenos que mal dá para fumar na escola um cigarro inteiro, quanto mais ter de ir lá para fora! E quando chove? pois é, há que respeitar os não fumadores, mas para isso os fumadores perdem o respeito. Felizmente na universidade isto não acontece, mas falando em discotecas e afins, existem algumas que na sala “de chuto” há um completo e desconfortante efeito ruim de “estufa”. Noutras, como no Algarve, visto não serem diferenciados os locias de fumo, todos apanham com o mesmo – ‘Tá mal!

AO abrigo desta lei, nós fumadores subimos ao estatuto de quase criminosos!

MUDANDO o rumo desta crónica… Vamos pensar nas crianças. Faz-me confusão quando vejo os pais a fumarem ao pé das crianças. Parece que não se importam com os próprios filhos! Em Coimbra acontece-me frequentemente a situação de estar na paragem de autocarro, chegar a mãe com a(o) filha(o) e sentar a criança ao meu lado estando eu a fumar um cigarro. Sou eu que me levanto e me afasto da criança para esta não apanhar com o fumo! Ainda há também quem se ache muito “bonzinho” ao deixar de fumar quando se está á espera de um filho, mas após o nascimento deste, volta-se á mesma estupidez.

ACHO que esta a altura de relembrar alguns dos malefícios do tabaco:
     estima-se que por cada cigarro que se fuma diariamente perde-se um ano de vida (bem, eu fumo cerca de 30 cigarros por dia.. acho que morro amanhã!);
     lesões pulmonares, risco de cancro no pulmão, enfisema e de bronquite crónica;
     aumenta 2 a 4 vezes o risco de crise cardíaca, enfarte no miocárdio ou angina de peito;
     risco de tumor na laringe, da boca, língua e lábio, do esófago, dos rins, da bexiga e do pâncreas.

outra má notícia é o preço do tabaco. Como é possível o imposto do tabaco ser tanto que nos faz comprar um maço de tabaco a €3,30 no mínimo – 660 escudos!! No meu tempo um maço de Camel custava apenas 190$ (e ninguém me pedia BI)… aiiii que até dói! Num avião para os Açores, um maço de tabaco custa a módica quantia de cerca de um euro e pouco – Vejam só o imposto que o Governo mete nos bolsos. Há uma contradição suprema. Lei do tabaco contra o seu lucro para os cofre do Estado. Enfim…

NEM tudo são más notícias! Um estudo feito recentemente em Portugal aconselha os fumadores passivos a fumarem um cigarro por semana, pois estes apenas inspiram o fumo e não o expiram. Mas que grande teoria… é para as tabaqueiras lucrarem só mais um bocadinho!

Diogo Costa Leal & Bar0na. 09

Vá, vamos gerar discussão! Round 1, fight!

Meu Século XXI

Posted: 29 de Maio de 2009 by Dê Cê ÉL in Convidados, Crónicas

               De mãos dadas vejo a inconstância, a insegurança e as incertezas que, aos saltos, vão buscar a inquietude. Vejo a frágil esperança lá longe no canto, ela ainda credita que tudo vai mudar.

                A sala é ampla e escura, avistam-se injustiças, incompreensões, falta de sentimento e seres incorrectos, frios e egoístas que se exibem, chegando ao ridículo. Até parece que apenas existe o lema da ostentação e do materialismo. E os Valores? – É simples: Valho porque tenho, não por aquilo que se é e por mérito, mas pelo que possuo. Fala-se por falar não se canta nem se ouvem sonoridades que preenchem a alma. Há gente mas não há pessoas…

                Nesta reunião de posturas há entrada livre para a falta de verdade, para a mesquinhice e para as vidas fáceis e ocas. E a multidão que não sente e que se veste de egocentrismo?

                No tempo e na vida que corre e que envelhece, não se vêem caminhos nem os passos a seguir.

                Fecho os olhos e sonho na liberdade do ser. Ser quem se é realmente, sem nuvens e escuridão, sem jogos de esconde-esconde, mas com rasgados sorrisos e a leveza do ser. Ser capaz de elogiar, de ser sincero e de pensar no outro.

                Sim sonho, sujonho na minha e na liberdade de todos. Aqui, perante os obstáculos e as dificuldades, há passagem, atitude, coragem e finalmente a mudança.

                Já sei onde vou e consigo sorrir acordada. Já sendo a pessoa transparente que sou, também já consigo olhar com o brilho da felicidade.

 Ciana[participação especial]