Arquivo por Autor

Homenagem

Posted: 16 de Março de 2010 by bar0na in Dedicatórias*, Musica, notícias, Uncategorized
Etiquetas:, ,

LEMBRO-me bem como e quando te conheci: foi no dia 12 de Maio de 2007, quando foste actuar com o Sam The Kid à Semana Académica de Faro. Quem nos apresentou foi o Reko, e desde o primeiro minuto desenvolvemos uma empatia que, mais tarde, evoluiu para uma amizade.
VOLTEI a ver-te quando actuaste dia 26 de Abril de 2008, na Semana Académica de Loulé. Pensei que já não me conhecesses, mas tu, sabendo que sou grande fã do Sam, fizeste-me subir ao palco e cantar a “Sofia“… As minhas pernas tremiam. E quando a música fizeste questão que eu ficasse em palco convosco; e ainda vieste ao pé de mim e partilhaste o teu microfone para cantar contigo “Poetas de Karaoke“.
AI, essa foi a melhor noite da minha vida, e tu estavas presente! Fomos todos para o backstage onde fumámos e bebemos, sempre a rir e sorrir! Ainda tenho uma garrafa de água que o Sam me deu, e que não partilhei com ninguém! 😀
A seguir fomos para o Blackjack, em Vilamoura. Diverti-me bastante convosco, e nessa noite devo ter gasto cerca de 70/80€, mas acredita que valeu a pena.
SEMPRE que ias a Faro telefonavas-me a avisar… Ainda nos encontrámos na baixa de Faro umas quantas vezes… Nunca esqueces-te o meu nome, e nunca me encaraste sem um sorriso na cara.
TINHAS um sorriso sincero, e sempre que nos encontrávamos ficávamos eternidades a falar. Nunca deitaste culpas a outros por erros do passado, sempre os assumiste.
AS nossas conversas iam desde o campo pessoal ao profissional, da cultura ao sexo, de preceitos a preconceitos. Nunca houve nenhum assunto em que te mantivesses calado!
LEMBRO-me agora do concerto em Albufeira:
– Já vens «chular» bebida né barona?
– Oh, é só para provar, a ver se não tem veneno!
RIMOS muito!
NUNCA tiveste problema algum em dizer-me quando achavas que eu estava a agir mal… Sinceramente, não sei o que te deu na cabeça para não parares na operação STOP. Essa brincadeira tirou-te a vida!
HOJE choro por ti, mas na memória ficam os risos estridentes, as brincadeiras, as trocas de insultos parvos, as chamadas telefónicas em que me ria infinitamente, porque eu sei o teu tipo de mulher 😀 só tu perceberias esta última parte, mas como já cá não estás, morre contigo e comigo.
OBRIGADO por tudo, tudo mesmo!
GUARDO na minha memória o teu sorriso, as tuas tranças maravilha e os teus óculos magníficos!:D
QUE saudades vais deixar, não só como amigo, mas como grande contributo ao movimento do hip-hop português. Estavas a evoluir muito e recordo-me de como fiquei orgulhosa de ti quando ouvi a tua música com o Regula no Kara Davis vol.2!
DESDE então não tive oportunidade de te dar os parabéns . Deixo-tos agora.

ESTA é a minha homenagem para ti, Snake, a cobra da minha vida!
R.I.P. 😥 16/03/10

contento(-me)

Posted: 23 de Janeiro de 2010 by bar0na in Poesia[abstracto], Saudades Infinitas, Tu.

CONTENTO-me por não sentir

MAS sei que estou a mentir

NÃO a ti, não a nós,

MAS a mim…

VIVER fechada em angústias

A querer curar a alma

COM o mais poderoso veneno

QUE é a mentira do não sentir

QUE é saber e não querer fugir

QUE é rosnar, mas adorar

GOSTAR é querer sentir

QUERER sentir para gostar

MAS gostar leva a emoções

E dessas eu quero escapar

UMA mão num rosto

LEVE passagem no cabelo

O tal arrepio na espinha

E o meu corpo é todo dele

MÃOS suadas em volta da cintura

CARÍCIAS no pescoço

BEIJOS longos e profundos

QUE fazem vibrar todo o corpo

RECORDAÇÕES é bom tempo

BOM tempo de recordações

QUANDO éramos só tu e eu

SEM ninguém ao redor

SENTIR as ondas de calor

ARREPIOS gélidos de prazer

GOTA de suor no rosto

QUASE de fazer gemer.

BEM agarrada e firme

ERA assim que me sentia

E o teu olhar nu e cru

LOGO me desmentia

NÃO passa de uma noite

QUE se repete todos os dias

CRISES e ciúmes…

ISSO são tudo mentiras!

O simples perguntar

A réstea no olhar

O lindo murmurar

A tua boca no meu ouvido

NESSAS noites perdidas

ACABAMOS no quente da cama

E só nessa altura

ELE diz que me ama

RESPONDE-se com olhares

E tudo volta à mesma cadeia

É um circulo viciado

APANHASTE-me na tua teia!

ULTIMAMENTE, com amigos(as) tem surgido à conversa o tema “suicídio”.
NA sua opinião, o suicídio é algo lamentável; é uma acção egoísta e só mostra egocentrismo, isto é, na tentativa furtiva de encontrar um escape para a dor (psicológica principalmente), vai-se provocar dor a todos os que nos rodeiam e que gostam de nós.
ACHO que esta opinião sim é lamentável, pois é a opinião de toda a gente, é uma opinião globalizada, é uma opinião moral e eticamente correcta!
COM isto não estou a querer dizer que concordo com o suicídio ou algo parecido…
ACHO que é realmente egocentrico uma cto destes, mas não nos ensino a sociedade que só connosco podemos contar, que devemos seguir a nossa vida sem nos importarmos com o caminho que outros tomam (a não ser que nos aecte directamente)?!
QUEM nunca pensou que não merecia/queria viver? Acho que todos nós já pensámos isso pelo menos uma vez na vida!
NÃO concordo quem critica sem ter a rwal versão dos factos. De qualquer das maneiras, para uma pessoa acabar com a sua própria vida motivos não devem faltar, e só essa pessoa sabe a real versão dos factos.
CLARO que há pessoas que têm tendência para serem mais depressivas que outras… sinceramente só o é quem “quer”!
A depressão é uma “doença” nova, que afecta miudos e graúdos, que provém de uma deseducação da alma e personalidade.
SIM, já tive períodos menos bons! Sim, já pensei em suicídio, mais do que uma vez até! Mas sempre tive a “claridade” para encontrar uma solução, para ver ver o lado positivo (que muitas vezes não havia) da situação.
-que aprender a rir para a vida, pela vida e com a vida!
SE esta sociedade não fosse já por si tão mimada, estas psicoses globais hipocondreacas seriam em menor número concerteza. Mas pronto, depressão é a doença da moda, e torna-se difícil contrariar a tendência!
APRENDEMOS desde novos a ser materialistas e a pensar como a generalidade da sociedade, para nelas nos podermos inserir. Acabamos por nunca pensar pela nossa cabeça, pois são nos dirigidas regras que acatamos quase automaticamente; acatamo-la e tomamo-la como certa eticamente.
ESTAS questões de educação infantil acabam por nos comprometer já em adultos. Não desenvolvemos as capacidades que deveriamos ter desenvolvido; o livre-arbítrio que nos foi atribuído e que é uma das principais características da nossa personalidade, é totalmente corrompido, porque embora pensemos que estamos a pensar por nós mesmos, estamos a seguir uma linha de pensamento globalizada e controladora, que usa o simples “truque” de nos meter uma ideia/opinião na cabeça e fazer com que pensemos que fomos nós que a “criámos”.
QUERO com tudo isto explicar que à miníma desilusão na vida, muita gente chora , cai … voilá, fez-se a depressão!
ASSIM, tem-se vindo a assistir ao degredo do livre-arbítrio, e à super deseducação da personalidade… porque quando eu era pequena, se qeria uma coisa fazia por merecê-la: ajudava a minha mãe ou tirava boas notas ou arrumava o quarto… se eu tivesse nascido neste século (até pareço velha), se quisesse alguma coisa, faria uma birra!

Saudades Infinitas*

Posted: 21 de Setembro de 2009 by bar0na in Dedicatórias*, Poesia[abstracto], Saudades Infinitas

Sinto aquela falta,
A falta da ansiedade
A ansiedade de te ver,beijo
A ansiedade de te ter.
um pensamento ,
um arrepio…
Melhor dizendo
um calafrio.
A lágrima cai,
Ou pelo menos quer cair
Ao pensar no que se passou
O que se poderia ter passado…
Mas era óbvio
Mais tarde ou mais cedo
O “nós” acabaria.
Eu não quis que fosse assim
Mas assim o fiz
Por isso, assim o mereço!
Agora sinto a falta do teu toque,
Do teu cheiro,
Das tuas palavras,
Do teu sorriso…
Mas o tempo não volta atrás
E nem há tempo para recuperar o passado…
tempo para o (re)viver
Pois o passado é um conjunto de recordações.
Mas se não há tempo para recuperar o passado,
Porque haverá tempo para o (re)lembrar?
Quero seguir a vida em frente
Vou seguir a vida em frente
Mas torna-se complicado querer viver um futuro
Sem que te traga do passado para o presente.
“I wanna wake up where you are”
E esta é sem dúvida a pior das verdades!
Quero acordar onde ‘tás,
Quero acordar ao teu lado,
Quero morar ao teu lado,
Quero viver ao teu lado,
Quero ficar ao teu lado…(!)

 

Assinado: Barona

photo07

SOU um bocado suspeita para falar deste dia, visto que sou fumadora muito activa, compulsiva até! Fumo há 8 anos (desde os 12) e acho que estes números dizem tudo. Já eu (o outro que também diz que escreve – risos), fumo desde os 14 e infelizmente sou actualmente aclamado de “chaminé-tossidora”.

cerca de um ano e meio que entrou em vigor a nova lei do tabaco. Sou contra e a favor desta lei. É tão bom quando se vai a algum restaurante ou café e se pode acender o cigarrinho para acompanhar o café. Para respeitar os não fumadores somos obrigados a ir lá para fora… perfeitamente compreensível, é tudo uma questão de hábito! É mau um não fumador ter de fumar ao lado de um que o faz – Há que haver respeito, mas caramba! Os passivos que nos respeitem também – Isso é liberdade, respeitar a dos outros.

NÃO entendo esta lei no domínio das escolas secundárias. Ter de ir para fora da escola só para fumar um cigarro?! Os intervalos são tão pequenos que mal dá para fumar na escola um cigarro inteiro, quanto mais ter de ir lá para fora! E quando chove? pois é, há que respeitar os não fumadores, mas para isso os fumadores perdem o respeito. Felizmente na universidade isto não acontece, mas falando em discotecas e afins, existem algumas que na sala “de chuto” há um completo e desconfortante efeito ruim de “estufa”. Noutras, como no Algarve, visto não serem diferenciados os locias de fumo, todos apanham com o mesmo – ‘Tá mal!

AO abrigo desta lei, nós fumadores subimos ao estatuto de quase criminosos!

MUDANDO o rumo desta crónica… Vamos pensar nas crianças. Faz-me confusão quando vejo os pais a fumarem ao pé das crianças. Parece que não se importam com os próprios filhos! Em Coimbra acontece-me frequentemente a situação de estar na paragem de autocarro, chegar a mãe com a(o) filha(o) e sentar a criança ao meu lado estando eu a fumar um cigarro. Sou eu que me levanto e me afasto da criança para esta não apanhar com o fumo! Ainda há também quem se ache muito “bonzinho” ao deixar de fumar quando se está á espera de um filho, mas após o nascimento deste, volta-se á mesma estupidez.

ACHO que esta a altura de relembrar alguns dos malefícios do tabaco:
     estima-se que por cada cigarro que se fuma diariamente perde-se um ano de vida (bem, eu fumo cerca de 30 cigarros por dia.. acho que morro amanhã!);
     lesões pulmonares, risco de cancro no pulmão, enfisema e de bronquite crónica;
     aumenta 2 a 4 vezes o risco de crise cardíaca, enfarte no miocárdio ou angina de peito;
     risco de tumor na laringe, da boca, língua e lábio, do esófago, dos rins, da bexiga e do pâncreas.

outra má notícia é o preço do tabaco. Como é possível o imposto do tabaco ser tanto que nos faz comprar um maço de tabaco a €3,30 no mínimo – 660 escudos!! No meu tempo um maço de Camel custava apenas 190$ (e ninguém me pedia BI)… aiiii que até dói! Num avião para os Açores, um maço de tabaco custa a módica quantia de cerca de um euro e pouco – Vejam só o imposto que o Governo mete nos bolsos. Há uma contradição suprema. Lei do tabaco contra o seu lucro para os cofre do Estado. Enfim…

NEM tudo são más notícias! Um estudo feito recentemente em Portugal aconselha os fumadores passivos a fumarem um cigarro por semana, pois estes apenas inspiram o fumo e não o expiram. Mas que grande teoria… é para as tabaqueiras lucrarem só mais um bocadinho!

Diogo Costa Leal & Bar0na. 09

Vá, vamos gerar discussão! Round 1, fight!

Mund0 imaginári0!

Posted: 27 de Maio de 2009 by bar0na in Uncategorized
anfetaminas

anfetaminas

UMA coisa que me custa é ver os meus amigos a sofrer. Se eu pudesse evitava o sofrimento dos meus amigos para não sofrer eu também.

CONTUDO, há certos erros e sofrimentos que ninguém consegue evitar, pois essas pessoas têm de sofrer para aprender. Mas há erros que se podem evitar, há erros que se devem evitar… Falo do mundo da droga!

E quando digo droga falo em drogas pesadas como cocaína, heroína, anfetaminas e por aí além…

ADMITO que já experimentei várias drogas. Não sou uma pessoa conservadora , mas sei aquilo que sou e estou consciente dos meus objectivos de vida, por isso as drogas (pesadas) não passam por ela.

TUDO começa com os charros – uma droga leve, que por sinal devia ser legalizada. Até aqui está tudo bem. Mas quando se começa a querer experimentar outras coisas, há que ter consciência daquilo que somos e de quem somos. Cada deve conhecer-se física e psicologicamente para tentar evitar casos de dependência.

EXPERIMENTAR nunca fez mal a ninguém, até porque se deve “tropeçar” para mais tarde não cair.

MAS quando se experimenta uma, duas, três, quatro vezes… bem, se calhar já é demais!

COMO todas as drogas, a primeira vez é muito fixe! Grandes “mocas”, muita diversão, muitas risadas e tudo mais. Com o passar do tempo vai-se querendo mais, e mais, e mais… É quando os amigos começam a notar e tentam avisar: “Não estarás tu a abusar?”. “Não – responde essa pessoa – ’tás mas é maluca, é só de vez em quando!”. Os amigos até querem acreditar na sua palavra, mas é difícil… A pessoa acaba por mudar: as suas atitudes não são as mesmas, as companhias falam por si… simplesmente já não é aquela pessoa que se conheceu outrora!

cocaína

cocaína

 

AGORA quase todos os antigos amigos se afastam… A pessoa fica num poço bem escuro, bem fundo, bem… faltam as palavras porque tal cenário se torna indescritível. A droga já não vem pelo prazer e pela diversão, mas sim pela necessidade (ressaca!).

É triste quando se assiste a estes casos… pessoas que cresceram comigo, com quem tive muita vivência. Vê-las a descambar é… qualquer coisa, qualquer sentimento que não dá para descrever com palavras. É daquelas cenas que nos fazem pensar e nos fazem querer lutar por uma sociedade melhor. Uma sociedade em que “andar” na droga não é “cool”, que para ser respeitado não é preciso andar à porrada ou bater em meio mundo!

A droga é um mundo imaginário! A droga devia depender da pessoa e não a pessoa depender da droga!

CLARO que isso são escolhas pessoais, e com a informação que há hoje em dia, o número de toxicodependentes deveria ter tendênca para diminuir e não para aumentar!

MAIS uma vez fico triste, estou triste… Espero que tu acordes para a vida. Vê como a vida é bela, apesar de todas as coisas más que nos acontecem. Daqui a uns anos vais lembrar-te das coisas más com um sorriso na cara, a rires da tua própria parvoíce e as coisas boas… essas vão ficar sempre no coração e vais lembrar-te delas com um grande sorriso na cara e com lágrimas nos olhos dizendo “bons tempos, bons momentos que ficarão guardados para sempre”!

AGARRA-TE à vida, aos amigos, à família… Não desistas NUNCA, seja por qual motivo for!

A droga é um mundo imaginário e quando te aperceberes já perdeste metade da vida. Acorda agora antes que seja tarde demais!

 

 

 

 

 

Amy Winehouse

Amy Winehouse

 

 

 

Tu.

Posted: 26 de Maio de 2009 by bar0na in Dedicatórias*, Duetos, Poesia[abstracto], Tu., Uncategorized

 

Deixa o vento entrar

Deixa a brisa permanecer

Pela janela da liberdade

Pelo portão das ambiguidades

Que depois de muito passar

E grandes guerras batalhar,

Eu consigo reconhecer o teu ar,

Diferente dos antigos nostálgicos

Á minha respiração.

É muito característico

E é isso que me faz brilhar

E brilho, brilho, brilho…

Até o resto da noite durar.

E é assim que recebo as tuas cartas,

Prosas e poesias escritas numa tinta

Permanente de incertezas.

As cartas que insistem em não falar

E só me deixam sonhar,

Sonhar com a hora que me vou encontrar contigo,

Sonhar com a altura que te hei-de beijar,

Sonhar com os milésimos de segundo

Em que me enlaças de forma digna.

Logo depois acordo,

A realidade ’tá a chamar.

Aí noto que o vento se torna seco

E as nuvens mais negras,

E tudo começa a sufocar-me,

O meu entendimento adormece

E só penso em ti,

Nas estrelas, no mar

Nas praias, nos jardins,

Nos planaltos, na neve…

Penso em como gostava de te fazer feliz.

Penso no que gostava que acontecesse.

Pois, eu querer… Quero o infinito

Mas tu metes-me limites,

Barreiras maior que muralhas,

Barreiras intransponíveis

Altas e largas…

Que eu quero passar por cima.

Falta-me a força,

Falta-me a vontade,

Falta-me o teu beijo

Para me reanimar de sentidos,

Para voltar a levantar-me…

Ainda não abriste bem o coração

Para deixar a minha paixão penetrar-te.

Eu ando à toa porque sonho de olhos abertos

Ando à toa porque sonho contigo!

 

Bar0na & Dyr elL. 09